Programa Reconhecer – Estímulo à Regência

Foi apresentado hoje, 22/06/2011,  no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, pelo Governador Marconi Perillo, o plano que será adotado pela Seduc Go para valorização do professor. O programa prevê pagamento de bônus anual no valor de R$ 1,5 mil para os docentes com carga horária de 40h semanais e o valor proporcional às demais cargas horárias.

Dois critérios são essenciais para fazer jus ao abono. Primeiro ser funcionário efetivo da Seduc e segundo estar desempenhando a função de regência em sala de aula.

A premiação será feita com base na tabela abaixo, divulgada em O Popular:

PREMIAÇÃO

 Como será a bonificação para os professores da Rede Estadual:

 Até 1% de falta                                              100% do bônus

 Entre 1,01% e 2% de falta                               85% do bônus
 Entre 2,01% e 3% de falta                               70% do bônus
 Entre 3,01% e 4% de falta                               55% do bônus
 Entre 4,01% e 5% de falta                               40% do bônus
 Acima de 5% de faltas                                não receberá o bônus

EXEMPLO DE CARGA HORÁRIA

  FALTAS                                                           BÔNUS

Até 6 aulas                                                 100% do bônus

Entre 7 a 12 aulas                                        85% do bônus
Entre 13 a 18 aulas                                      70% do bônus
Entre 19 a 24 aulas                                      55% do bônus
Entre 25 a 30 aulas                                      40% do bônus
Acima de 30 aulas                                   não receberá o bônus

“Esse bônus vai estimular os professores que ficam em sala de aula. E nós vamos continuar buscando soluções para que os nossos profissionais da educação se sintam cada vez mais prestigiados e respeitados nesta função, que é tão importante, de ensinar nossas crianças” (leia na íntegra aqui).

A fiscalização da assiduidade do professor para justificar o recebimento do abono, é de inteira responsabilidade do diretor da unidade escolar. A UE deverá afixar em local público, um quadro de frequência mensal (modelo padronizado pela Seduc). A Secretaria da Educação fará auditoria permanente para averiguação da frequência apresentada e em caso de fraude, os docentes da escola envolvida, perderão o direito ao bônus.

“A partir de 2012, consideraremos também os índices de desempenho dos alunos, como uma espécie de Indice de Desenvolvimento da Educação Básica (ideb), que estamos criando em nível estadual”, afirma o secretário Thiago Peixoto.

O professor em desvio de função só terá direito se retornar à regência de sala de aula. Não foi mencionado sobre o abono para o pessoal administrativo, aqueles que não são professores, se terão direito também e, em caso afirmativo, qual o critério para o pagamento desse bônus.

Fontes: Jornal O Popular – edição de 22/06/2011 e Site http://www.noticias.goias.gov.br/index.php?idMateria=107411&tp=positivo

5 respostas a Programa Reconhecer – Estímulo à Regência

  1. Vera Ney cunha Costa diz:

    Gostaria de saber o porque que os professores contratados estão fora desse programa,sendo que trabalhamos do mesmo jeito?

    • Kenya diz:

      Assim que tiver uma posição a respeito de sua pergunta Vera Ney, postarei aqui para que você e demais interessados possam tomar conhecimento do assunto, se ainda não o tem.

  2. Rute diz:

    Eu gostaria que nosso governador e seu secretário da educação do estado de Goiás, olhassem pra nos professores de uma forma mais humana, ou então sou obrigada a pensar que eles estão imunes a qualquer tipo de dor, sentimentos, tristeza, perdas, estão acima do bem e do mal. Se é isto, então feliz deles.

  3. Rute diz:

    Seu texto me deixou emocionada, pois, não recebi meu bônus por ter 3 atestados médicos,e que inclusive um deles é de internação, e sou uma professores que estou sempre na escola, estas são minhas únicas faltas, todos os eventos da escola, estou com a mão na massa, realizo projetos, em resumo visto a camisa da escola, e tudo que realizei pela escola e pelos meus alunos, valeu menos que as faltas de 3 atestados médicos. Então o que vale não é o trabalho realizado, mas estar de corpo presente na escola.

  4. Marinete diz:

    Sou professora efetiva a vinte e cinco anos e pensei que já havia visto de tudo na educação de Goiás, mas me enganei. O programa reconhecer é uma degradação da profissão e uma ofensa ao ofício de professor. Poderia ter recebido o nome de “bolsa professor” a exemplo do bolsa escola criado para fazer com que os alunos não faltassem à escola. Com ele os pais obrigavam os filhos a freqüentar a escola sem querer e os alunos, revoltos com isso, a fazer da escola e da vida dos professores momentos de tortura no trabalho que antes uma troca prazerosa. Foram tantas atribuições administrativas jogadas nas costas dos professores: diários de classe, projetos, portfólios, relatórios, etc. que os professores não tem mais tempo de ministrar aulas, incumbindo grande parte do tempo de aula em sala de aula com serviços burocráticos. Com isso e aliado a alunos que queriam estar em qualquer lugar, menos na escola, gerou-se a repetência e veio a necessidade de inúmeros programas de aceleração. A qualidade da educação hoje foi gerada nesta época e tem causado espanto e preocupação ao governo e às escolas atualmente. E agora o governo nos trata como às crianças e às famílias. Cria o programa reconhecer para fazer com que os professores não faltem e cuidem das crianças com toda a carga de problemas sociais e familiares que elas levam para a escola e com toda a carga burocrática da própria escola. Mas parando para pensar, tem professor que quando falta ninguém sequer nota sua ausência e tem professor que faz tanta diferença que sua ausência desestrutura toda a unidade escolar. E professor é ser humano, tem família e às vezes adoece. Nem o Presidente da República está livre de faltar por doença. Então quem receberá este bônus? Isso me faz lembrar do exemplo de uma amiga que foi a única professora que conheci que conseguiu fechar o ano letivo sem ter nenhuma falta. Hoje ela está doente e encontra-se em reabilitação. Não consegue nem entrar numa sala de aula. O governo está mais uma vez plantando sementes de infortúnio que colherá no futuro. Se Tiago Peixoto e Marcone quisessem realmente premiar os bons professores, seria tão mais simples. Era só perguntar aos alunos, buscar na fonte. Eles são os clientes e conhecem o trabalho de todos os professores. Sabem quais os que não faltam mas não fazem falta e nem diferença. E sabem quais os que lhes mostram que a vida pode ser melhor através dos estudos e que a vida vale a pena. Que fazer a diferença não está na quantidade, mas na qualidade, no amor, no compromisso e no desempenho. Que tem pessoas que estão professores e tem aquelas que são professores.
    Netty.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: